quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Circuito encerrou suas atividades do ano em Caruaru

Foi nos dias 8 e 9 de dezembro, na Escola Municipal Álvaro Lins, em Caruaru, Pernambuco, que aconteceu a última oficina deste ano! 


E foi com a turminha desta foto: 


Pra lá de "porreta visse"?


Balanço


Encerramos o ano de 2011 com mais de 24 municipios brasileiros visitados. Passamos por Manaus (AM); Franca (SP); Fortaleza (CE); Brasília (DF); Cruzeiro do Sul (AC), Curitiba (PR); Campo Grande (MS), Rio de Janeiro (RJ) entre tantas outras cidades.


Aprendemos e compartilhamos experiências com mais de 880 professores da rede pública, contabilizando mais de 600 horas de aprendizagem! 

E que venha 2012!!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Professores de Caucaia participam do Circutio

Professores da rede pública de ensino de Caucaia, Ceará, participaram, nos dias 5 e 6 de dezembro, do Circuito Telinha na Escola.

Para a professora Adrianny Geni Ricco Knebel, da Escola de Ensino Fundamental Inah Arruda, o trabalho foi inovador porque trouxe a questão de despertar o interesse do aluno a partir de uma aborgadem mais criativa no uso das mídias. "Me proporcionou um outro olhar sobre meus planejamentos de aula. Com certeza, minhas aulas de português, inglês e artes serão mais divertidas e tenho certeza que meus alunos irão se envolver bem mais com estes conteúdos".


Já para a professora e tutora presencial do programa Escola Técnica Aberta do Brasil - E-tec - Maria Carmenusia Brito Saraiva, o Circuito Telinha na Escola representa uma oportunidade para o professor trabalhar com as mídias que estão ao alcance das condições dos alunos, como o celular. "É mais fácil o estudante ter um celular do que um computador em casa. Além disto, esta oficina apresentou atividades criativas para serem utilizadas no laboratório de informática educativa. É uma possibilidade de integrar o aluno às aulas, com aproveitamento de aprendizagem significativo, afinal, ele passa a ser co-autor da aula".

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

NOVA ROSALÂNDIA ENTRA NO CIRCUITO

O Circuito telinha na Escola chegou a Nova Rosalândia, no interior do Tocantins com muita vontade de ensinar e aprender com as professoras desta cidade. Foram dois dias muito divertido e produtivo. Passamos por algumas dificuldades técnicas, mas no final tudo deu certo! Confiram os vídeos produzidos.

video video



video

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Circuito telinha na escola no 4º Seminário de Educação em Rede

As educadoras Leila Dias e Lívia Neiva escreveram um artigo sobre esta experiência fascinante que tem sido o projeto Circuito Telinha na Escola e ele foi aprovado no 4º Seminário de Educação em Rede, promovido pelas Universidade Federal de Goiás (UFG) e Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás).

A apresentação do artigo será na sexta-feira, dia 11, no grupo de trabalho sobre mediação pedagógica com tecnologias.

Para ler nossa reflexão, basta clicar no link: 

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

E o Circuito Telinha chegou à capital federal!

Nossa semana de 18 a 21 de outubro foi no Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE) do Guará. Estivemos na companhia de 24 professores de escolas públicas da capital federal que compartilharam conosco suas impressões sobre as atividades que desenvolvemos.

Foram dias de troca e depoimentos legais sobre o despertar para um uso mais criativo de ferramentas que alguns deles já conheciam; sobre a perda do medo de navegar pela web e "fuçar" em seus próprios celulares; sobre o surgimento de ideias novas para planejamento de aulas mais interativas e a multiplicação destes conhecimentos com a escola que pertencem. 

Confira!

Aurenivia Mendes é professora do quinto ano, da Escola Classe 2 do Guará e disse que quase todas as crianças da escola em que trabalha tem celular e por isto torna-se importante aproveitá-lo em alguma atividade. "Nós já estamos planejando uma aula para as crianças envolvendo o bluetooth, o blog e a produção de vídeos de bolso. Estou levando deste curso muitas idéias para planejar aulas mais interativas".
 
As professoras Cássia Neves e Rosângela Martins, de Sala de Recusos Generatista da Educação Inclusiva, do Centro Educacional 03 do Guará,  já tinham a idéia de trabalhar uma adaptação para vídeo do clássico "O patinho feio" e que ser tornará "O patinho diferente". A intenção delas é apresentar este vídeo no próximo show de talentos da escola. Só que estavam sem saber como fazer e por isto destacaram com entusiasmo a parte prática do "saber fazer vídeo", um dos temas da oficina do circuito. 

Rosângela Martins destaca ainda que aprendeu a perder o medo das tecnologias "a gente mexe aqui, mexe acolá e com isto aprendi a navegar, a fuçar no celular sem medo, enfim, comecei a ficar mais audaciosa (risos)" Já a professora Cássia destacou que "nossa Telinha já cresceu! Por exemplo, o autista já usa com frequência a câmera de vídeo do celular dele , eles registram tudo. A partir de agora vamos aproveitar melhor as ferramentas do celular como recurso pedagógico."


Já para o professor de educação fícisa da AABB comunidade de Brasília, Pedro Henrique Castro Lazo, participar do "Circuito Telinha na Escola" foi uma oportunidade para aprender a como despertar o interesse dos participantes nas oficinas que a AABB oferece " Acredito que a tecnologia em geral precisa ser usada em todas as disciplinas.Na educação física podemos fazer nosso próprio blog e inserir uma gincana divertida, com vídeos e informações sobre como trabalhar com as mídias, o que poderá atrair bastante a participação de nossos alunos, que tem idade variada."



Leila Ribeiro de Souza,professora de geografia Centro de Ensino Fundamental 01 do Guará, , disse que  ainda está pensando em como adaptar pedagogicamente tudo que aprendeu no Circuito em uma aula de geografia. Para ela “ o desafio de atingir meus alunos pela linguagem que eles já dominam é fantástica” . Apenas reclamou que as atividades do circuito precisariam ser desenvolvidas com carga horária maior “precisamos de mais tempo para assimilar tantas informações”.






Suzana Cezarina da Cunha Laya é professora de ensino fundamental 1,  da Escola Classe 02 do Guará, e garantiu que aprendeu a mesclar as novas tecnologias com o tradicional de uma sala de aula.“Brincando com celular foi possível compartilhar por bluetooth poemas criados por nós mesmos.Em sala de aula, pretendo incentivar meus alunos na criação de outros textos".




Cristiane Félix Silva, professora de informática, Centro Educacional 03 do Guará, participar do Circuito proporcionou a ela integrar sua prática pedagócia com as tecnologias que despertam mais interesse no aluno. "Em nossa escola já estavamos planejando a produção de um curta metragem e o curso me despertou sobre a possibilidade de executar esta ação a partir dos aparelhos celulares. Me despertou também para outras possibilidades mais criativas de aplicação de ferramentas que eu já conhecia como blog, mapas e editores de vídeo. O curso foi muito produtivo, dinâmico, com grande interatividade e me sinto mais motivada em aplicar estas tecnologias de uma forma mais criativa."

Fotos: Paulo Gomes da Silva

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Colégio Graham Bell fala sobre o nosso Circuito!

Coordenadora Pedagógica e professora do Colégio Graham Bell, Denise Vilardo, comenta sobre o resultado das atividades que desenvolvemos na escola, nos dias 29 e 30 de setembro: 


video

O estudante, Lucas Simões, também deixou registrado sua opinião sobre o Circuito Telinha na Escola :


video

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Circuito Telinha segue nas linhas do teleférico do Complexo do Alemão

O Circuito Telinha na Escola chega no Colégio Theóphilo de Souza Pinto, na Nova Brasília (Complexo do Alemão). Professores e estudantes que estavam interessados em conhecer e utilizar as mídias móveis como atividades dentro da escola participaram das atividades propostas pelo oficina. Para a professora de inglês, Marisa Fernandes, a capacitação ajudou a construir um mundo mais próximo entre a tecnologia e a sala de aula possibilitando uma maior interação entre professor e aluno.


Nesta foto, a educadora Leila Dias, inicia uma conversa sobre o impacto das novas formas de aprender que a geração de nativos digitais estão desenvolvendo. Afinal, geração que nasceu depois de 1990 desenvolveu um nova forma de leitura que precisa ser compreendida por todos nós, já que esta nova forma de pensar tem exigido novas estratégias para ensinar.

 A estudante Fabýola Medeiros entre as educadoras Lívia Neiva e Leila Dias. O poema criado por ela foi o grande vencedor do "Festival de Microtexto".

Todos os participantes são convidados a colaborarem como autores e administradoes de um blog literário criado especialmente para a oficina. Um dos exercícios é o "Festival de Microtextos" que consiste na criação de poemas, com até 160 caracteres, inspirados no autor brasileiro que tiveram que pesquisar para fazer o blog.
 
Após pesquisa, inspiração e transpiração, os participantes compartilham o texto por bluetooth e o postam no blog. Depois são estimulados a ler, comentar e votar, por meio de uma enquete, no que mais gostaram. O vencedor ganha uma camiseta personalizada do Circuito.

No Colégio Teóphilo de Souza Pinto, o poema escolhido foi da estudante Fabýola Medeiros, inspirado em uma obra de Lima Barreto, escreveu:


Por onde,
por onde,
ela colocou os olhos em mim,
devorando uma grande vontade de me descobrir
e eu fugia com medo de me seduzir.


Conheça o blog literário :  http://www.complexoecircuito.blogspot.com/